Pesquisa

Marcha da Maconha 26/05/18

Síntese dos resultados da pesquisa realizada na Marcha da Maconha de São Paulo, em 26/05/2018. Foram realizadas 451 entrevistas entre 14:30 e 19:30 horas no trajeto da Avenida Paulista e Avenida Brigadeiro Luís Antônio. A margem de erro é de cerca de 5%. As entrevistas foram aplicadas por uma equipe de 29 pesquisadores.

Considerando a margem de erro, os dados de 2018 revelam um perfil de participantes parecido com o verificado em pesquisa anterior realizada na Marcha da Maconha de 2016 (coordenada por Moretto, Ortellado e Solano). Este perfil aponta para jovens que, em sua maioria, não se identificam com instituições partidárias ou religiosas.

O que a pesquisa de 2018 revela é: 1) O forte apoio à recente paralisação dos caminhoneiros, sendo que este apoio varia de forma considerável dependendo da faixa etária. Conforme detalhado a seguir, entre os mais jovens há maior adesão à pauta dos caminhoneiros e menor adesão entre os mais velhos, especialmente acima de 42 anos. 2) A pesquisa apresenta pela primeira vez ​ aspectos relacionados à questões específicas sobre drogas, tais como dados sobre os usos da maconha, preconceito, consentimento da família, motivações para participar da marcha e outras questões sobre legalização e descriminalização de drogas. 3) A pesquisa procurou investigar sobre a participação de jovens advindos de bairros periféricos na Marcha na Avenida Paulista.

Coordenadores: Isabela Oliveira Kalil (NEU/FESPSP), Marcio Moretto (GPOPAI/USP) e Pablo Ortellado (GPOPAI/USP).

Download

Pesquisa Marcha da Maconha 26/05/18